List

O filósofo Micah T. Lewin fez uma impressionante tabela para auxiliar na avaliação da qualidade de um artigo. A tabela de Lewin é voltada para artigos na área da Filosofia, porém acredito que a estrutura seja aplicável para praticamente qualquer área. Enquanto na tabela original Lewin descreve todos os pontos que caracterizam artigos nas qualidades “inaceitável”, “marginal”, “precisa de melhorias”, “bom” e “excelente”, por questão de espaço traduzi e reescrevi aqui apenas as características dos artigos de qualidade “excelente”.

Acredito que seja uma ferramenta muito útil para qualquer um que queira escrever um bom TCC, artigo ou dissertação e que gostaria de ter mais confiança quanto aos critérios que deve cumprir para que seu trabalho seja visto como excelente. Espero que gostem.

Argumentação [45 pontos]

1.  Afirmação da Tese [5 pontos]: Articula uma afirmação clara e precisa da tese que é facilmente identificada, localizada na introdução.

2.  Argumentos — Estrutura Inferencial e Consistência [15 pontos]: Clara e precisamente enuncia as premissas, inferências e a estrutura inferencial do argumento utilizada para estabelecer (sub-conclusões em direção da) conclusão geral ou tese do artigo. A consistência interna do argumento do autor é prontamente apreciável.

3. Força dos Argumentos [15 pontos]: Apresenta com clareza um argumento altamente plausível que é válido (se dedutivo) ou forte (se indutivo). Premissas são ou não-controversas ou fortemente apoiadas com sub-argumentos. O autor articula com precisão e explicitamente o grau com o qual sua estratégia argumentativa (isto é, suas premissas e inferências) dão suporte para suas conclusões e inclui qualificações apropriadas conforme necessário.

4. Consideração de Alternativas ou Contra-Argumentos [10 pontos]: Articula com precisão e considera e avalia com caridade diversas posições alternativas e contra-argumentos viáveis (tanto óbvios quanto novos) vis-à-vis sua própria posição e argumentos; responde a essas alternativas de forma hábil e engenhosa.

Entendimento, Explicação, Análise e Avaliação [35 pontos]

5. Engenhosidade, criatividade e ineditismo da tese, argumentação e exposição [5 pontos]:  Apresenta uma tese ou argumento notavelmente criativa ou nova para a sua posição e demonstra engenhosidade filosófica genuína. A explicação e análise em (6) e (7) é altamente criativa.

6. Explicação e análise do tópico, questão ou problema e as ideias relacionadas que estão em jogo [15 pontos]: Articula a explicação do tópico ou questão em foco, quebrando o problema em partes constitutivas e suas inter-relações, tudo com grande clareza, engenhosidade e exatidão. Analisa as ideias e conceitos envolvidos nisso com clareza, precisão e persuasão.

7. Exposição, Análise e Avaliação dos argumentos e posições dos outros [15 pontos]: Caracteriza, explica, analisa e avalia com clareza, caridade e precisão as posições de outros autores, quebrando-as e reconstruindo seus argumentos com consideração, precisão e um olho atento para as nuances. OBS: A avaliação dos argumentos dos outros deve primar pela consistência interna, força relativa do argumento e a comparação da plausibilidade do argumento deles versus outras posições.

Síntese [5 pontos]

8. Integração da explicação de fundo (6 e 7) com a sua própria posição (1-5) em um entendimento mais amplo [5 pontos]: Clara, precisa e persuasivamente traça um entendimento do tópico e ideias em questão (6) e as posições do outros nela (7), com um argumento forte em favor da sua própria posição (1-5) em um arcabouço integrado e abrangente  que captura com engenhosidade o assunto em questão como um todo. A conexão desenhada entre os elementos são precisas e construtivas.

Organização [15 pontos]

9. Roteiro [2,5 pontos]: Inclui, com sua tese, um plano claro e preciso — um roteiro — para como o autor estabelecerá sua tese e adere a esse roteiro em um ensaio que o segue por todo o artigo.

10. Marcas de Guia [2,5 pontos]: Inclui um número razoável de “Marcas de Guia” úteis para a transição ou frases organizacionais que guiam o artigo, indicando onde o leitor está dentro da estrutura de argumentos do autor e do plano deste.

11. Estrutura [5 pontos]: Constrói um ensaio muito bem organizado, com  uma estrutura fácil de ser seguida que permite à linha de pensamento do autor ser desenvolvida com clareza e potência. A introdução e conclusão do artigo vão direto ao ponto, sem excessos e floreios. O corpo do ensaio tem um fluxo bem encadeado com um excelente ordenamento de parágrafos e seções. Tópicos, ideias, exposição, explicação, argumento e análise estão presentes em ordem iluminadora e em progressão natural.

12.  Legibilidade e Entendimento [5 pontos]: Escreve uma prosa que é ao mesmo tempo manifestamente fácil de ser seguida, legível, precisa, clara e edificante. O leitor pode facilmente entender o argumento, explicação, análise e exposição do autor sem nenhum esforço interpretativo extraordinário. A escrita do autor é concisa sem sacrificar a clareza ou obscurecer detalhes importantes. As palavras são muito bem escolhidas e conceitos e terminologias técnicas são definidos, explicados e empregados de forma lúcida e perspicaz.


Gostou da estrutura que Lewin propõe? Pois bem, além de recomendar dar uma olhada na tabela completa feita pelo autor (em inglês), caso queira se aprofundar recomendo também o conteúdo de altíssima qualidade do Harvard College Writing Center.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

One Response to “A Estrutura de um Artigo Excelente”

  1. Alysson Augusto

    Ótimo! Eu tinha visto essa tabela mais cedo, que bom que a parte mais interessante dela foi traduzida, do contrário eu teria feito, dado ser um ótimo norte pras pessoas se guiarem em seus trabalhos acadêmicos. Valeu pelo trabalho de utilidade pública, Thomas, como sempre. 🙂

  Categoria: Tradução

1 2
Maio 29th, 2017

A Estrutura de um Artigo Excelente

O filósofo Micah T. Lewin fez uma impressionante tabela para auxiliar na avaliação da qualidade de um artigo. A tabela de […]

Abril 22nd, 2017

As Virtudes e os Critérios Intelectuais Universais

Esses dias deparei-me com um texto bastante interessante que discutia quais as virtudes e características intelectuais universais, aquelas indispensáveis para servirem […]

Abril 15th, 2017

[Review] Utilitarismo e a Ética da Guerra (Shaw, 2014)

Utilitarismo e a Ética da Guerra Resenha e Fichamento feitos a partir de: Shaw, W.H. (2014). Utilitarianism and the ethics […]

Março 15th, 2017

Ideias Econômicas que Você Deveria Esquecer: Capitalismo [tradução]

Ideias Econômicas que Você Deveria Esquecer Capitalismo, por Daron Acemoglu Tradução do capítulo de livro:  ACEMOGLU, D. Capitalism. In: FREY, […]

Fevereiro 14th, 2017

Filosofia da História 1: a História e sua Representação [tradução]

Filosofia da História 1. A História e sua Representação Para citar esta tradução (ABNT): LITTLE, D. Filosofia da História. Tradução […]

Janeiro 20th, 2017

O caráter intelectual dos teóricos da conspiração

Pensadores ruins Por que algumas pessoas acreditam em teorias da conspiração? Não é apenas quem ou o que elas conhecem. É […]

novembro 9th, 2016

Como os EUA elegeram Trump, em três filmes

[Este post é uma tradução de um artigo que tomou as redes, escrito por David Wong, editor do site Cracked. […]

setembro 11th, 2016

O Caos do 11 de Setembro de acordo com novos documentos

Conforme o tempo passa, documentos antes secretos são abertos ao público e nos permitem nos aproximar mais da realidade histórica […]

Abril 21st, 2016

O que faz de alguém um cientista? Por Richard Feynman

A passagem abaixo sobre ciência e pesquisa científica é uma leitura livre que recomendo a qualquer pessoa. São as palavras […]

Fevereiro 14th, 2016

10 Fatos Assustadores sobre Qualidade do Ensino no Brasil

Semana passada foi publicado o resultado do estudo da OCDE sobre qualidade do ensino em 64 países, onde o Brasil […]